Não seja um bobo em entrevistas de emprego

dicas entrevista emprego

Foto: Fabian Blank

Erros de entrevistas de emprego que ninguém fala

Eu já falei sobre entrevistas de emprego num outro artigo aqui, mas agora quero falar especificamente de erros (muitos deles bobos) que fazem com que você perca oportunidades de trabalho.

Já digo logo que não sou recrutador e não pretendo ser.

Porém, já tenho alguma experiência e somado a isso, tenho um conhecimento adquirido através de pesquisas que fiz, de contatos com meus alunos em sala, de contatos com amigos e pessoas que trabalham recrutando pessoas.

Assim, talvez algumas das coisas ditas aqui sirvam para você.

Para facilitar, resolvi separar esse post em duas partes. A primeira fala a respeito de comportamento na hora de responder a perguntas feitas pelo entrevistador.

Já a outra parte, falo de problemas sobre o lado intrapessoal, de autoconhecimento da pessoa, que podem prejudicar a sua atuação na entrevista.

Vamos lá? \ˆ-ˆ/

Atitudes comportamentais detestáveis

Isso se refere a certos tipos de vícios propositais e/ou comportamentos que são inconscientes e que resultam que a sua percepção de bobo fique latente na mente do entrevistador.

Perguntas bobas:

# 1 – Não tenho perguntas a fazer

Sempre que se vai a uma entrevista, não se esqueça que o recrutador quer acima de tudo, ouvir você.

Pra mim, basicamente o entrevistador quer ter uma boa conversa contigo.

Portanto, isso pressupõe fazer perguntas. E quando você diz que não tem perguntas, isso demonstra que você não está dando a mínima para aquela vaga ou para a empresa.

Sim, você não precisa obrigatoriamente fazer uma pergunta, mas se não a fizer, não é de bom tom.

Portanto, pense em ter pelo menos uma pergunta na manga para demonstrar que você se preocupou em saber algo da empresa.

Pense: “O que o entrevistador gostaria que eu perguntasse?”

Faça esse exercício e você com certeza terá algo relevante para questionar.

# 2 – Não gosto de fazer tal coisa…

Por mais que se saiba que em toda a profissão, há tarefas que se gosta mais e as que se gosta menos, não fale sobre isso.

A questão é que não precisa, já que todos sabem que isso é inerente ao ser humano.

Numa entrevista, para ficar com uma visão boa diante do entrevistador, sempre foque nos seus pontos fortes, nas coisas que você é bom e que tem competência e como isso pode ser aproveitado pela empresa.

# 3 – Acho que consigo fazer isso, mas terei certeza quando me contratar

Essa frase tem tom de desafio e impertinência – por mais que você não queira dizer isso.

A impressão que dá para a pessoa que está entrevistando é: “Você não sabe se dá conta e eu tenho que pagar pra ver? Estou fora!”

Além do que, a frase dá um sentido de incerteza… “acho que consigo…”.

Numa fala persuasiva devemos evitar palavras que deem a impressão de que não vamos dar conta.

Tente sempre usar palavras assertivas, que passem a impressão de que você vai conseguir cumprir o que promete.

Ex: :Eu vou dar conta!” “Eu consigo fazer isso prontamente” ou mesmo: “Eu não consigo fazer no momento, pois não tive oportunidade para tal…”

# 4 – Eu não conheço muito bem essa empresa…

Essa questão é muito recorrente e é uma falta grave.

Hoje em dia, com todos os recursos disponíveis, falar que nunca ouviu falar da empresa onde você está fazendo a entrevista e não demonstrar interesse, pega mal pra caramba.

Não fale a frase acima e procure pesquisar a organização onde você pleiteia a vaga. Tente saber o que ela faz, quais setores tem, quantos anos de existência etc.

Mesmo que você não fique com a vaga, vai ter valido a pena aprender uma pouco mais.

# 5 – Qual é o salário mesmo?

Espere o recrutador falar isso. Caso contrário, espere o momento oportuno para perguntar.

Você pode ouvir e participar de toda a entrevista e ao final de tudo, pode explicitar por exemplo que já está trabalhando e que precisa saber o salário oferecido por uma questão de priorizar o tempo do entrevistador, caso o valor salarial seja menor para você do que a empresa atual em que está trabalhando.

Isso vai soar profissional!

# 6 – Hã… Dãn…

Procure ser seguro nas respostas.

Esse negócio de ficar com pensamentos divagantes, gírias e palavreado arrastado definitivamente não pega bem.

Procure – como dito anteriormente – ter uma argumentação clara, assertiva que convença a pessoa de que você tem algum grau de autoconfiança e interesse para com a vaga, mesmo que você não tenha.

Não é uma questão de mentir ou omitir, mas uma questão de respeito.

Lembre-se que em tese, a pessoa que está te entrevistando tem pouco tempo, está a trabalho e poderia ter chamado qualquer outra pessoa… mas chamou você!

Então, demonstrar interesse é o mínimo que se pode fazer.

Outros erros (Clássicos!)

  • Chegar atrasado;
  • Atender o celular na hora da entrevista ou deixá-lo tocar;
  • Se colocar numa posição de autoridade/superioridade;

ideias entrevista empregoProblemas de ordem intrapessoal

Eis a parte dois.

Muita coisa atrapalha as pessoas na hora de enfrentar uma entrevista. Mas nada atrapalha mais do que os problemas de ordem interna, que são aqueles que acometem a pessoa antes da entrevista começar.

Alguns que na minha opinião são recorrentes: a ansiedade, a baixa autoestima e a falta de habilidade de falar e articular ideias (oratória).

A ansiedade em princípio é boa. Porém, por causa de muitos fatores sociais e de ordem pessoal mesmo, parece que ela vem aumentando e atrapalhando cada vez mais as pessoas.

Lembre-se que um alto grau de ansiedade, favorece doenças como síndrome do pânico, depressão e diversas outras fobias.

Portanto, tente trabalhar para que a ansiedade se reverta ao seu favor.

O outro fator é a falta de autoestima. Isso prejudica muito você na medida em que te coloca numa percepção que não tem competência para assumir o cargo.

Veja se você consegue se lembrar de um bom gerente que tenha baixa autoestima…

São coisas incongruentes.

Trabalhar com cargos de confiança, pressupõe autoestima elevada.

A terceira coisa é a falta de habilidade em falar. Isso envolve não necessariamente que a pessoa seja como um palestrante profissional.

A questão é que você pode ser até um tanto tímido, mas deve ter em mente e perseguir a habilidade de saber falar o que precisa na hora certa.

De nada adiante ter uma autoconfiança em níveis aceitáveis se você não consegue se expressar e vender o seu peixe na hora H.

Autoconhecimento é a chave!

A questão é: Invista em autoconhecimento!

Não vou me ater a esse tema aqui, mas há inúmeros materiais online e em cursos sobre essa temática.

Então, invista em se autoconhecer para que você possa responder às perguntas com mais confiança e ter mais prestígio na hora da entrevista.

Se você for alguém que tem o conhecimento dos seus pontos fortes e fracos, quais coisas mais tem afinidade de fazer e quais é o seu conjunto e valores e crenças, vai auxiliar para que você não seja visto como um candidato “bobo” ou dummy e que possa concorrer plenamente de igual para igual com qualquer candidato.

Gostou desse conteúdo?

Compartilhe com quem precisa

Se quiser comentar, use o espaço abaixo.

Aprenda como ter ganhos na internet mesmo que você não saiba NADA de marketing digital!

Danilo Mota

Danilo Mota é professor e um empreendedor digital com a missão em ajudar pessoas a conseguir mais resultados através da internet.

Website: http://www.superedesafios.com.br

10 Comentários

  1. Elaine Nascimento

    Excelente conteúdo, Mestre! Arrasou, como sempre! Me identifiquei em dois aspectos neste artigo: de candidata e de “recrutadora”. No início de minha vida profissional tinha muita dificuldade em me expressar, não me conhecia. Isto foi o ponto chave para não ser contratada, aliado, é claro, à minha falta de experiência. Do outro lado, recentemente, precisei recrutar uma funcionária para uma empresa que trabalhei e percebi, em algumas delas, as mesmas atitudes que tinha quando mais nova e descritas aqui. Por isso, reitero, o conteúdo é super relevante. Tenho certeza de que ajudará muita gente. Parabéns Danilo!

    • Obrigado por contribuir e me incentivar a continuar esse trabalho 🙂

  2. Thiago Zordan

    Grande Danilo, belo texto e dicas importantes.

  3. Sérgio Barbirato

    Parabéns mestre, ótimo o tema abordado, precisamos sim conscientizar os candidatos de como se comportar nas entrevistas, pois é ali que está a primeira chave para abrir a porta da empresa. Abraços

    • Obrigado meu amigo por contribuir sempre comentando aqui no blog e por também ajudar as pessoas. Gratidão!

  4. João Victor

    Conteúdo de qualidade. Como sempre nos auxiliando e nos mostrando um pouquinho da sua vasta experiência.

  5. Helaine Locateli Amaral

    Excelentes dicas! Será de grande valia para muitas pessoas, inclusive eu.
    Parabéns pelo trabalho, Danilo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *